Notícias

Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara

   Por Joaquim B. de Souza, Editor
  Quinta-feira, 15/08/2019, 10h50
  Fonte: Da Redação
   Imagem: JB Treinamento em Informática | Um jeito novo de ensinar         Bandeira do Brasil

Imagem: Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara | noticiasdejussara.com.br
Imagem: Equipe técnica do Município de Jussara | Valdecir P. Lima, técnico da Agricultura e Meio Ambiente, Valter Bossa, Diretor do SAMAE e Meire Giroto, Arquiteta e Urbanista

Imagem: Imagem: Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara | noticiasdejussara.com.br
Imagem: Equipe técnica da DRZ, Bruno M. Francisconi, Aila T. de Brito e da FUNASA Sr. Cardoso

Embora, o presidente Bolsonaro anda na contramão das causas ambientais com as suas declarações polêmicas, Estados e Municípios como gestores públicos e ainda não foram contaminados pela insensatez do anti-ambientalismo.

Nesta quarta-feira (14/08), o município de Jussara, região Noroeste do Estado do Paraná, realizou uma conferência pública para apresentar o Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara, elaborado graças ao financiamento com recursos da FUNASA - Fundação Nacional de Saúde.

Imagem: Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara | noticiasdejussara.com.br
Imagem: Plano Municipal de Saneamento Básico de Jussara | noticiasdejussara.com.br

A conferência foi conduzida pelo Sr. Valter Bossa, Diretor do Samae, que contou também com a participação de técnicos da DRZ empresa responsável pela elaboração do PMSB, Aila Theodoro de Brito e Bruno Martinez Francisconi; participou também da conferência o representante da FUNASA, Sr. Cardoso, bem como técnicos do município que contribuíram para a elaboração do plano, Valdecir Pereira Lima (Decis), Técnico da Agricultura e Meio Ambiente, e Meire Giroto, Arquiteta e Urbanista, e a população em geral.

De acordo com as orientações técnicas, "a proliferação de doenças, como diarreias, dengue, hepatite, entre outras, está ligada à falta de saneamento básico". Portanto, é necessário esforço comum entre o poder público e a população, pois, "se quisermos garantir saúde pública e ambiental é preciso ter serviços eficientes de abastecimento de água, coleta de lixo, tratamento de esgoto e drenagem das águas de chuva. Isso exige ações interligadas, que são fundamentais para o desenvolvimento humano e a preservação do meio ambiente onde vivemos", afirmam os especialistas.

De acordo com descrição do release apresentado ao público, para se ter uma condição mínima de saúde pública é obrigatório:

Tratamento de água

Todas as casas devem receber água tratada de qualidade que pode ser retirada dos rios, lagos ou poços subterrâneos. Toda água deve passar por processo de tratamento antes de ser distribuída para consumo humano.

Esgoto sanitário

Todo esgoto sanitário produzido nas residências deve ser levado até às estações de tratamento por meio de tubulação subterrânea, pois o esgoto a céu aberto é foco de doenças, principalmente para as crianças.

Coleta de lixo

A coleta e o local onde o lixo será depositado e tratado de forma adequada são de responsabilidade das prefeituras municipais. Estas não devem deixar que os resíduos sejam jogados nas ruas ou em lugares impróprios, poluindo rios, lagos e até o subsolo, o que compromete a saúde da população.

Drenagem urbana

A água da chuva deve ser escoada em direção aos rios, para que siga seu curso natural e não cause inundações ou alagamentos na cidade.

Leia também

Caixa disponibiliza linhas de crédito para financiamento habitacional

Caixa Divulga Calendários de Pagamento do FGTS e Cotas do PIS



Clube de Autores - livros de todos os gêneros literários  | JB Treinamento
Livros de todos os gêneros literários!P



+ noticias
ENDEREÇO

Um Jeito Novo de Informar | Centro
87230000 | Jussara
SUPORTE