Lembranças de Vinicius de Moraes

Rememoram-se 40 anos de falecimento de Vinicius de Moraes (19 de outubro de 1913 a 9 de julho de 1980), porém ele continua vivo no imaginário social, na diplomacia, na dramaturgia, na poesia, no canto e na composição, só para dizer alguns dos seus talentos. (Prof. Jorge Queiroz)

Últimas Notícias

Eleições 2020 – Duplo Interesse

Grupos mandatários da gestão atual fazem pedidos para o adiantamento das eleições, enquanto que os de oposição não abre mão das eleições este ano. Com razão, tem administração insuportável e prorrogar esse martírio da população não é justo.

Pandemia e educação

O novo coronavírus, motivo da pandemia global, altera a vida das pessoas, em âmbito individual e profissional, a exemplo da alteração que ocorre na educação do ensino básico. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Sergio Moro em três momentos

Enumero três momentos da vida de Sergio Fernando Moro, natural de Maringá - PR (10 de agosto de 1972), ex-ministro da Justiça, ex-magistrado, professor universitário. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Massacre do Centro Cívico completa cinco anos

Aos 29 de abril de 2015, educadores (as) do ensino básico e universitários (as) estaduais e estudantes, em greve, repudiavam o Projeto de Lei 252/2015, encaminhado por Beto Richa, ex-governador do Paraná (janeiro de 2011 a abril de 2018) e réu em ações por inúmeros crimes, à Assembleia Legislativa, que alterou a ParanaPrevidência. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Galeria de fotos


Notícias

História de Jussara - Terra Roxa e Abençoada

Por Francisco Laurindo Barbosa - sexta-feira, 11/12/2015, 09h23

Senhor Francisco Laurindo e espoa Viventina Bezerra

Hoje, com 83 anos, me recordo claramente da nossa vinda à Jussara. Em 1963, meus pais José Laurindo e Maria da Conceição vieram para Jussara tocar lavoura de Café na Água Bertioga. Devidamente instalados, aceitei o convite para vir ajuda-los.

A História

Em 1958, já casado com Vicentina, chegamos em Itaguajé, aqui no Paraná, vindos de Brejo Santos, Estado do Ceará, onde era proprietário de uma venda, nome usado na época. Em Itaguajé, nasceram as minhas três primeiras filhas: Jucilene, Jusmar e Jucidênia.

Não contente com o progresso da venda, fui sozinho para Ubiratã em busca de futuro melhores; gostei da cidade. Ao retornar, entusiasmado comentei com a esposa, mas ela não gostou, pois não tínhamos parentes nem amigos lá. Então ficamos em Itaguajé por um bom período.

Hoje, com 83 anos, me recordo claramente da nossa vinda à Jussara. Em 1963, meus pais José Laurindo e Maria da Conceição vieram para Jussara, pois eram proprietários de um sítio na Água Bertioga. Meus pais já estavam devidamente instalados com plantio de café quase em produção e nos convidaram para morar em Jussara para ajudar na lavoura de café.

Eles diziam: "Venham pra cá, aqui é uma terra abençoada, terra roxa". Nesse mesmo ano viemos para Jussara para fixar residência nesta terra abençoada. Trabalhei com meus pais na lavoura de café. Passando alguns anos nasceram meus dois filhos José Juscie (In memorian) e Aparecido.

Quando tudo parecia estar caminhando bem, fomos surpreendidos com uma forte geada que queimou toda a plantação de café do Paraná. Recordo-me até hoje, que a tristeza tomou conta dos cafeicultores da época, não dá para esquecer, a geada foi tão que forte que chegou a congelar a terra roxa. O desânimo foi grande, mas não desistimos. Resolvemos plantar algodão.

Nessa época a colheita foi produtiva, pois a abençoada terra roxa contribuía para uma boa produção. Entretanto, alguns anos depois saímos da Água Bertioga e viemos para cidade, na mesma avenida Dr. Gastão de Mesquita filho. A cidade era muito pequena com uma terra fina e empoeirada. Fui trabalhar como pedreiro na prefeitura de Jussara.  Juntamente com uma equipe eu construí a Biblioteca Pública onde hoje é o prédio da câmara municipal e outras benfeitorias. Com muito orgulho falo do cruzeiro no alto da torre que fiz doação a pedido do Padre Chiquinho (1924-2009).

Passado algum tempo resolvi fazer o que mais gostava: ser comerciante. Comecei a trabalhar na feira que acontecia aos domingos de manhã, onde se vendia de tudo, até carne.  Com a implicância da fiscalização para recolher impostos, porque até então não se pagava, devido a isso os feirantes pararam.

Resolvi então continuar, mas abrindo comércio com razão social denominada Bar e empório são Francisco, desta forma pagava impostos, mas ganhava mais, por trabalhar mais dias na semana. Estávamos muito contentes, pois o comércio estava indo muito bem. Nessa época nasceu nossa caçula Jussara. Hoje é o mercado Bom preço.

No ano de 1976 fui eleito vereador com 97 votos pelo partido MDB. Legislei no ano de 1977 á 1981. Fui muitas vezes à Curitiba em busca de melhorias para a nossa terra abençoada junto com o prefeito Sr. Geraldo Scramim que era do partido da ARENA; ele era um homem, íntegro, honesto, com um coração do tamanho do mundo. Eu era oposição, mas isso nunca interferiu no bom andamento da casa de Leis para beneficiar o município. Éramos amigos. Pois admirava a forma de governar sem politicagem.

Agradeço a Deus pela decisão de ter escolhido esta cidade maravilhosa para continuar construindo minha família. Que Deus continue derramando graças sobre nossa querida terra roxa abençoada de Jussara.

Nota do Editor

"O solo do município de Jussara é caracterizado por 2 tipos de rochas distintas, quais sejam: latos solo vermelho escuro e terra roxa estruturada, ambas com capacidade de alta fertilidade natural", (CMNP, 1975).

Para saber mais sobre a criação do município de Jussara, acesse:
http://www.jbtreinamento.com.br/download/jussarasuahistoria.pdf



JB Treinamento em Informática, cursos e livros
JB Treinamento em Informática, cursos e livros

Rede social:

https://www.facebook.com/noticiasdejussara
https://www.facebook.com/jbtreinamento
+ noticias

Imagens

Francisco Laurindo



ENDEREÇO

Um Jeito Novo de Informar | Centro
87230000 | Jussara
SUPORTE