Lembranças de Vinicius de Moraes

Rememoram-se 40 anos de falecimento de Vinicius de Moraes (19 de outubro de 1913 a 9 de julho de 1980), porém ele continua vivo no imaginário social, na diplomacia, na dramaturgia, na poesia, no canto e na composição, só para dizer alguns dos seus talentos. (Prof. Jorge Queiroz)

Últimas Notícias

Eleições 2020 – Duplo Interesse

Grupos mandatários da gestão atual fazem pedidos para o adiantamento das eleições, enquanto que os de oposição não abre mão das eleições este ano. Com razão, tem administração insuportável e prorrogar esse martírio da população não é justo.

Pandemia e educação

O novo coronavírus, motivo da pandemia global, altera a vida das pessoas, em âmbito individual e profissional, a exemplo da alteração que ocorre na educação do ensino básico. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Sergio Moro em três momentos

Enumero três momentos da vida de Sergio Fernando Moro, natural de Maringá - PR (10 de agosto de 1972), ex-ministro da Justiça, ex-magistrado, professor universitário. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Massacre do Centro Cívico completa cinco anos

Aos 29 de abril de 2015, educadores (as) do ensino básico e universitários (as) estaduais e estudantes, em greve, repudiavam o Projeto de Lei 252/2015, encaminhado por Beto Richa, ex-governador do Paraná (janeiro de 2011 a abril de 2018) e réu em ações por inúmeros crimes, à Assembleia Legislativa, que alterou a ParanaPrevidência. (Texto Prof. Jorge Queiroz)

Galeria de fotos


Notícias

Calculando a Liquidação de um Financiamento - Função PPGTO

O Microsoft Excel disponibiliza, com já foi dito, inúmeras funções completas para todo o tipo de cálculo financeiro. Para tanto, basta saber aplicar a fórmula correta. Neste exemplo, vamos dar essa mãozinha, criando uma amortização financeira, separando o capital investido dos juros pagos.

Quando se vai tomar algum dinheiro emprestado o que se tem em mente é o valor a ser financiando, a taxa de juros praticada pela entidade financeira, o prazo em que pretende amortizar o financiamento, a inicial da tomada do empréstimo, qual será o valor das prestações, quanto se pagará de total de juros e qual será o total da dívida englobando o capital mais os juros.

O primeiro passo, portanto, é definir a primeira área de dados. A pretensão é tomar como empréstimo R$-12.000, a uma taxa de juros de 5%, tendo como prazo 9 meses, a começar em 30/04/2012, data em que se deu o financiamento.

Função PPGTO no Excel 2010

Outro ponto importante e trabalhar com os títulos das células e não com a referência. Pois, segundo as opiniões de alguns gerentes de escritórios, é melhor se referenciar a Valor Financiado do que C4, por exemplo. Desta forma, vamos então dar nomes às células.

Posicione o cursor na célula C4. Em seguida, clique na Guia Fórmulas. Agora, clique na opção Definir Nomes. Por padrão, o Excel preenche o campo Nome com o nome da legenda da célula selecionada. Você poderá alterar se for o caso.

Repita o mesmo procedimento para as células C5, C6, e C7. Os demais campos da caixa de diálogo Novo Nome deixa como estão.
Função PPGTO no Excel 2010
Faço o mesmo procedimento também para as células de C9 a C12. Ou seja, Pagamento_Mensal, Parcelas, Taxa_de_Juros e Valor_do_Financiamento.

Se você preferir, o que foi o caso deste exemplo, manter as fórmulas usando as referências, em minha opinião, diminui as chances de erros. Portanto, vamos seguir usando as referências, mas fique a vontade para testar também usando as células nomeadas.
Função PPGTO no Excel 2010
Vamos agora preencher as células de C9 a C12 usando fórmulas. Posicione o ponteiro do mouse na célula C9 e digite a seguinte fórmula: =-PGTO(C5;C6;C4) e pressione Enter. Observe o sinal (-) de menos. Ele indica que cada pagamento será subtraído do valor do financiamento.

Para determinar o número de parcelas, digite na célula C10 a fórmula: =C6 para repetir o conteúdo desta célula.

Para determinar o Total de Juros, de cada parcela, na célula C11 digite a seguinte fórmula: =C12-C4. O valor será preenchido automaticamente depois da célula C12 for preenchida. Portanto, para determinar o total do financiamento, na célula C12 digite a seguinte fórmula: =C9-C10. Desta forma, até o momento sua planilha deve estar com esta aparência:
Função PPGTO no Excel 2010
 
Recapitulando as fórmulas:

Célula

Fórmula

C9

=-PGTO(C5;C6;C4)

C10

=C6

C11

=C12-C4

C12

=C9*C10

Vamos agora criar uma nova tabela para controlar as amortizações. Ainda, determinar o capital nas prestações e quais valores de juros estão embutidos nestas parcelas.
Função PGTO no Excel 2010
Inserido as fórmulas:

Balanço Inicial - na célula G4 digite a fórmula =C4.

Valor das Parcelas (Pgto) - na célula H4 digite a fórmula =C$9. Observe o símbolo $ (cifrão) antes do número 9. Isso é necessário para fixar a linha 9, ou seja, tornar uma referência absoluta.

Juros - na célula J4 digite a fórmula =G4*C$5. Mais uma vez observe o símbolo $ (cifrão) antes do número 5. Necessário para fixar esta linha, para também tornar este endereço absoluto.

Com isso foi possível apurar o valor da parcela e o valor dos juros embutido nesta parcela. Agora é preciso determinar o valor do capital da parcela. Então, faça o seguinte:

Principal - na célula I4 digite a fórmula =H4-J4. Ao subtrair o valor dos juros da prestação, tem-se o valor líquido do capital.

Balanço Final - na célula K4 digite a fórmula =G4-I4. Observe que estamos apurando o valor da dívida de capital. Daí a razão de subtrairmos o valor principal das parcelas (I4) do capital inicial tomado emprestado (G4).

Os procedimentos para as linhas seguinte são muito simples. Por exemplo, para quitar a parcela do dia 30/06/2013, faça o seguinte:

Na célula G5 digite a fórmula =K4. Isso faz com que a célula (G5) seja preenchida com o saldo devedor de 30/05/2013 (K4). E assim sucessivamente até a última prestação. Basta copiar para células seguintes conforme aprendido anteriormente. Para as outras colunas faça o mesmo, basta copiá-la até o final da planilha.

Talvez você tenha alcançado seus objetivos. Entretanto, para deixar sua planilha mais profissional iremos fazer algumas alterações. Por exemplo, vamos substituir a fórmula da célula I4 (=H4-J4) por esta:

=-PPGTO(C$5;1;C$10;G$4).

Como também vamos substituir a fórmula da célula J4 (=G4*C$5), por esta:

=-IPGTO(C$5;1;9;G4).


Portanto, vamos apresentar a seguir as duas funções IPGTO e PPGTO, importantíssimas para operações e controles financeiros.

FUNÇÃO IPGTO - Retorna o pagamento de juros para um determinado período de investimento de acordo com pagamentos periódicos e constantes e com uma taxa de juros constante.

Sintaxe - IPGTO(TAXA, PERÍODO, NPER, VP, [VF], [TIPO]) - Exemplo: =-IPGTO(C$5;1;9;G4)

Na célula J4 digitamos a fórmula =-IPGTO(C$5;1;9;G4), para determinar o valor dos juros da primeira parcela. Para determinar os próximos valores bastou apenas copiar a fórmula para células seguintes. Observe que fixamos a célula C$5 para torna-la absoluta, pois nela consta a Taxa de Juros que servirá para todos os outros cálculos.

A sintaxe da função IPGTO tem os seguintes argumentos (argumento: um valor que fornece informações a uma ação, um evento, um método, uma função ou um procedimento):

Taxa - Obrigatório. A taxa de juros por período.  Exemplo C$5.

Período - Obrigatório. O período cujos juros se deseja saber e deve estar no intervalo entre 1 e NPER. Exemplo, 1 para primeira parcela; 2 para segunda e assim sucessivamente, mas ao copiar a fórmula para as célula seguintes esse número muda automaticamente. Em nossa planilha exemplo é a célula "Prazo, em meses".

Nper - Obrigatório. O número total de períodos de pagamento em uma anuidade contratado por ocasião do empréstimo. Por exemplo, 9 parcelas. Na fórmula este número deverá ser fixo, pois não importa que parcela você esteja pagando, o número de parcela contratada será sempre a mesma, neste caso (9). Em nossa planilha exemplo é a célula "Parcelas".

Vp - Obrigatório. O valor presente ou atual de uma série de pagamentos futuros. Neste exemplo o valor da célula G4, pois este é o valor inicial.


Vf  - Opcional. O valor futuro, ou o saldo, que você deseja obter depois do último pagamento. Se vf for omitido, será considerado 0 (o valor futuro de um empréstimo, por exemplo, é 0).

Se você utilizar o Assistente de Função, para calcular que juros estão embutidos na 5ª prestação, basta digitar em Período o nº 5. Os demais campos ficam inalterados. Faça vários exemplos, repita com novos valores, outras prazos, etc.

FUNÇÃO PPGTO - Retorna o pagamento de capital (I4) para determinado período de investimento de acordo com pagamentos constantes e periódicos e uma taxa de juros constante.

Sintaxe: PPGTO(TAXA, PERÍODO, NPER, VP, [VF], [TIPO])

A sintaxe da função PPGTO tem os seguintes argumentos:

Taxa - Obrigatório. A taxa de juros por período. Neste exemplo, 5%, contando na célula C5.

Período - Obrigatório. Especifica o período e deve estar entre 1 e NPER. No exemplo desta planilha o número de pagamento foi de 9 parcelas; aqui no caso, o período se refere qual parcela está sendo liquidada. Na fórmula, se for a 4ª parcela, deve-se colocar o número 4, e assim sucessivamente, entre 1 (C6) e 9 (NPER, na C10). Caso contrário retornará um #ERRO.

NPER - Obrigatório. O número total de períodos de pagamento em uma anuidade. Neste exemplo, foram 9 parcelas (C10).

Vp - Obrigatório. O valor presente, o valor total correspondente ao valor total tomado como empréstimo, para pagamentos futuros, C4.

Vf  - Opcional.

Tipo - Opcional.

Na célula I4 digite a fórmula =-PPGTO(C$5;1;C$10;G$4). Use o símbolo $ (cifrão) para fixar as linhas 5, 10 e 4. Você pode copiar a fórmula para as células seguintes, mas terá que fazer um ajuste. Na fórmula o Período deverá obedecer realmente a parcela correspondente, ou seja, prestação 1, nº 1; prestação 2, nº 2, e assim sucessivamente, os demais dados permanecem inalterados.


+ noticias

Imagens

Função PPGTO



ENDEREÇO

Um Jeito Novo de Informar | Centro
87230000 | Jussara
SUPORTE